Eletrônica Madamelândia

1999 - Maurício Negão

Release

Um Guitarrista Inclassificável

Maurício não parecia ter vontade de encaixar sua música em qualquer lugar com margem de contorno. Claro que não seria a Rastropop que forçaria isso. Com as portas da represa abertas, a correnteza de ideias veio com potência de rio caudaloso.

Com pinta de obra conceitual, o segundo disco do Negão é inclassificável. Camadas de Rock, música brasileira e africanidades estão à vista, mas a coisa vai mais fundo. O uso de samples traz novos sons e experiências tão provocantes quanto divertidas. A guitarra inquieta dá pistas de que aquelas criações vieram mesmo da cabeça de um criativo e habilidoso instrumentista. Não à toa, o título do álbum é uma referência a “Eletric Ladyland”, clássico absoluto de Hendrix, influência declarada.

As capas (duas opções) e o encarte são ilustrados pelo próprio músico. Desenhos que não são aleatórios, eles completam e enriquecem o sentido da obra musical.

Duas faixas representam bem o disco: “Zé Q é Preto” e “Moedas aos Deus Alá”. Poucas vezes o Rock brasileiro foi tão negro quanto na primeira. A segunda soa moderna fazendo uso orgânico das raízes da música brasileira; E faz isso sem apelar para artifícios decorativos.

Enfim, esse foi o resultado de uma criação sem barreiras, pudores ou censuras.

Produção: Maurício Barros

Onde encontrar:

Amazon
Deezer
eMusic
Google Play
iTunes
Spotify

Ouça o disco